Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘cabala’

 

 

letrashebraicas3

 

 

O que é realmente a Cabala ?

Um Grande Mal-entendido

“Se você ouviu dizer que Cabalá é uma religião, por favor, corrija esse mal-entendido agora mesmo. Cabalá é um sistema orientado por resultados, que explica as leis do Universo e ensina como podemos trabalhar da melhor forma com esse sistema.”

“A Cabalá não intelectualiza, nem racionaliza.”

“Cabalá é infinitamente prática! Uma tecnologia baseada em experiências milenares para nos fornecer as ferramentas necessárias para acionar a energia que queremos e precisamos diretamente da fonte. De certa forma, é como ir a um site e fazer o download de uma música. A Cabalá nos mostra como fazer esse download do Mundo dos 99%, a sede de todas a felicidade, onde existe amizade e amor verdadeiros, onde está todo o sustento, prosperidade e satisfação.”
(Rav Yehudá Berg)

*
Segundo a Tradição, a sabedoria da Cabalá foi transmitida a Adão pelo arcanjo Raziel. E preservada através de tradição oral até ser escrito o primeiro livro considerado cabalista, no qual se apoiam todos os outros, atribuído a Abraão, o patriarca, numa época em que não havia ainda nenhuma das três grandes religiões monoteístas.

Outro mal-entendido é de que a Cabalá é uma sabedoria que pertence apenas a um povo, ou cultura. Ela se aplica a todos os seres humanos, independente de crença, cultura ou religião, pois é uma espécie de “tecnologia da alma”, que aborda as leis espirituais segundo todos nós fomos criados, e oferece as ferramentas certas para que possamos acessar o que nossa alma precisa.

O terceiro mal-entendido é considerar as letras hebraicas como um alfabeto usado pelo povo judeu, já que ela deriva de uma linguagem universal, e as letras representam, cada uma delas, uma Inteligência Cósmica, os próprios “tijolos da Criação” com as quais foi criado nosso Universo. À maneira de um arco-íris, que refrata a luz solar branca em 7 cores diferentes, poderíamos dizer que as letras hebraicas são as “cores” pelas quais o divino é percebido no mundo físico.

Por último, o ideal é que não acreditemos em nada disso, mas que experimentemos aplicar em nossas vidas, e só então teremos um conhecimento do que a Cabalá pode fazer por nós.

Fernando Martins

Anúncios

Read Full Post »

“”Compartiho aqui um ótimo texto de Cristina Torres,professora de Cabala, falando sobre esta importante data, que é uma “Janela Cósmica” trazendo durante 8 dias, uma conexão maior com a Luz do Criador.Semana de milagres e de muita luz para as nossas vidas e para o nosso Planeta!””

CHANUCÁ – A FESTA DAS LUZES

No mundo dos 99%, fora do alcance da nossa visão, existe uma grande energia de vitalidade que pode compensar as faltas, resolvendo os problemas e manifestando nossos sonhos. Os cabalistas a chamam de “luz oculta”, oculta desde antes da criação. Chanucá é um momento em que esta Luz oculta é revelada para toda a humanidade.

A festa de Chanucá é a poderosa ferramenta deste período e começa no dia 25 de Kislev (anoitecer de 16/12). É conhecida como a Festa das Luzes e nos conecta com a energia de milagre.  O Milagre é a capacidade de romper com os padrões impostos pelo mundo das limitações, mesmo nas situações aparentemente sem saída.

Geralmente as festas do calendário cabalista estão relacionadas a fatos históricos, que ocultam ensinamentos sobre as energias disponíveis nestes períodos. O fato histórico é uma referência simbólica do que a data representa, na verdade, eles só ocorreram porque aquele período estava sob a influência de uma determinada conjuntura cósmica propícia. A Cabalá nos ensina como utilizar determinadas ferramentas para acessar o fluxo de Luz disponível nestes períodos.

Em Chanucá celebramos dois milagres ocorridos durante o período do Segundo Templo. O primeiro milagre foi a impressionante vitória, de alguns poucos judeus, sobre o poderoso exército do Império Grego. O segundo milagre aconteceu com o óleo usado para reacender a Menorá (candelabro) no Templo: a quantidade disponível na ocasião era suficiente para apenas um dia, mas durou por oito dias completos.

Chanucá é o momento em que chegamos a uma oitava superior, é como um “Portal” que se abre para nós. É um momento de experimentar o milagre, a ascensão, transmutação, aquele salto quântico (conexão com Biná). É uma celebração de oito dias. Como sete é um número de completude, o oito significa a transcendência, o domínio fora do tempo e do espaço, o infinito (oito deitado). A festividade atravessa Kislev, terminando em Capricórnio, a força necessária para concretizar as promessas de Sagitário.

Como fazer?

A conexão é realizada através do acendimento das velas de um candelabro, que nos associa a ideia do acendimento da Menorá (se você não tem o candelabro, improvise). Você pode adquirir a caixa com a quantidade de velas necessárias para a conexão.

Deve ser feito logo depois do anoitecer, num lugar destacado e visível (perto de uma janela), para que possamos compartilhar esta energia. Na primeira noite acende-se uma vela, acrescentando-se, a cada noite, mais uma vela, até que as oito sejam acesas (Biná). 

A Luz “shamash”, cujo significado é “servente”, corresponde a uma vela extra, que é colocada junto às outras velas, mas em posição destacada. Com a vela “shamash” acendemos todas as outras. Essas luzes são acesas com a finalidade de fazer a conexão com a Luz Infinita, portanto não devem ser utilizadas para nenhuma outra finalidade.

Primeiro, acende-se o shamash (VELA PILOTO) depois pronuncia-se as seguintes bênçãos:

“Baruch Atá Adonai, Elohênu Melech Haolam, asher kideshánu bemitsvotav, vetsivánu lehadlic ner Chanucá”

(Bendito és Tu, A-do-nai, nosso D’us, Rei do Universo, que nos santificou com Seus mandamentos, e nos ordenou acender a vela de Chanucá)

Baruch Atá Adonai, Elohênu Melech Haolam, sheassá nissim laavotênu, bayamim hahêm, bizman hazê”

(Bendito és Tu, Adonai, nosso D’us, Rei do Universo, que fez milagres para nossos antepassados, naqueles dias, nesta época).

Na primeira noite ou pela primeira vez, acrescenta-se:

“Baruch Atá Adonai, Elohênu Melech Haolam, shehecheyánu vekiyemánu vehiguiyánu lizman hazê”

(Bendito és Tu, Adonai, nosso D’us, Rei do Universo, que nos deu vida, nos manteve e nos fez chegar até a presente época).

Acender cada vela com a consciência adequada:

Dia 1 Malchut: Proteção e abertura no mundo físico;

Dia 2 Yessod: Transformação interior a partir de um novo sistema de valores;

Dia 3 Hod: Refinamento da alma, da forma como se comporta diante dos desafios;

Dia 4 Netzach: Eliminação da energia de falência (doenças, perdas, instabilidade…);

Dia 5 Tiferet – Estabelecimento do equilíbrio dinâmico entre as energias do pilar da direita e da esquerda;

Dia 6 Guevurá: Corte das influências negativas, o controle sobre o opositor interno (ego);

Dia 7 Chessed: Expansão em todas as áreas;

Dia 8 Biná: Ampliação da consciência. Conexão com o melhor de nós mesmos.

Após o acendimento devemos contemplar as velas e fazer a seguinte oração:

“Nós acendemos estas luzes em virtude das salvações, dos milagres e prodígios que realizaste para nossos antepassados, naqueles dias, nesta época, por intermédio de Teus sagrados sacerdotes. Durante os oito dias de Chanucá estas luzes são sagradas e não nos é permitido fazer qualquer uso delas; apenas olhá-las, a fim de que possamos agradecer e louvar Teu grande nome, por Teus milagres, Teus prodígios e Tuas salvações”.

Os Alimentos de Chanucá

Os alimentos mais importantes de Chanucá são fritos em óleo para fazer uma alusão ao milagre do óleo que durou oito noites deixando a Menorá acesa. Uma tradição bastante forte do Chanucá é servir os sufganiyot que são bolinhos que se parecem o que chamamos de sonho. Basicamente são bolinhos fritos em óleo e feitos com geleia. É uma semana que devemos compartilhar algo: dinheiro, presente, amor, sonhos… Serão oito dias, na busca de uma consciência espiritual mais elevada.

Postado por Cristina Torres

Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar com o Pinterest

Read Full Post »

hoshhashana

Rosh Hashaná é uma data Cósmica, que segue um calendário Lunar, onde estaremos entrando no ano de 5774, e neste ano de 2014 , se inicia na noite de quarta feira, dia 24 de Setembro, e vai até o pôr do sol de sexta dia 26, onde teremos a maior Fenda de Luz do ano, segundo a Cabala astrológica!

É um tambem a data em que os judeus comemoram o Ano Novo deles.

Acrescento aqui o parecer de um cabalista, Billy Phillips:

“Rosh Hashaná não é o ano novo, como geralmente se acredita, mas é a cabeça ou a semente do ano.

Rosh Hashaná é a nossa oportunidade de enfrentar e combater toda a energia negativa e bloqueios despertados através de atos egoístas e reativos que cometemos durante o ano anterior. Neste momento especial, o ciclo espiritual do universo é estruturado de forma que as conseqüências de nossos erros descuidados, comportamento intolerante e palavras ofensivas voltam-se para nós com força total!

Da mesma forma, uma semente positiva gera um ano positivo. Rosh Hashaná é a nossa oportunidade de escolher a semente que desejamos plantar para o nosso próximo ano. Assim como a sua cabeça e cérebro controla todo o seu corpo, o Rosh Hashaná controla o ano inteiro. Rosh Hashaná é a semente do ano.

Quanto mais difícil nós trabalhamos em mudar nossos caminhos e removendo os nossos traços negativos, maior a energia positiva que injetamos na semente. Então, a semente do ano germina com frutos de paz e prosperidade, ao invés de caos e conflito.”

Não precisa ser cabalista pra fazer esta conexão, pois isto estará aberto a todos que abrirem seus corações e mente para esta “Janela” Cósmica!

Aproveitar estas influências astrológicas positivas do Universo, ajuda a potencializar nossos intentos.

Dentro da Cabala é realizado rituais, onde cantam-se mantras, fazem orações, ouvem o toque de Shofar para purificação, etc..

Mas voce pode fazer a sua conexão tambem: tome um banho de sal grosso e ervas para purificar e receber melhor estas frequências, medite nem que seja por alguns minutos, e procure vigiar seus pensamentos e ações principalmente neste 2 dias, pois estará plantando as sementes que irão germinar nos próximos 12 meses!!

Voce pode tambem fazer práticas espirituais, e tudo que fizer com amor e respeito, será potencializado pela Luz Maior!

PS: Dica: os cabalistas costumam comer no final do ritual comer uma maçã com mel ,adoçando as energias para os próximos meses!

Segue um vídeo com mais explicações sobre esta data, e apesar de ser de 2010, a mensagem continua atual como nunca!

Shaná Tová !


http://youtu.be/LPKbgpMzNmA

 

rosh-hashana-uk

Read Full Post »

 

 

Shavuot2

 

 Mês de Sivan e a Festa de Shavuot

De acordo com o calendário hebraico estamos no ano 5774- 2014 no calendário gregoriano – e ao entrarmos no mês de Sivan – que aconteceu no por do sol do dia 29 do mês de maio de 2014 do calendário gregoriano – começamos a sentir a influência de Mercúrio diretamente em nossas vidas.

Segundo a Cabala o planeta Mercúrio possui uma característica muito peculiar que se revela como a habilidade de unificar os mundos físico e espiritual.

E foi precisamente no mês de Sivan que ocorreu a transmissão dos 10 Pronunciamentos a Moisés no Monte Sinai.

De acordo com os ensinamentos da Cabala, nessa ocasião foi ofertada a humanidade à oportunidade de vivenciar a imortalidade.

O que ocorreu no Monte Sinai foi um evento cósmico em que a humanidade teve a chance de dar o salto quântico que estamos buscando novamente agora, ou seja, vivenciar a imortalidade em um corpo físico restabelecendo assim a unidade de corpo e alma.

Esse evento grandioso representou a revelação de um nível de luz onde todo o caos, dor e limite poderiam ter tido um fim.

Todavia, pela construção e adoração do bezerro de ouro, a humanidade, naquela época, desprezou a oportunidade de vivenciar o ilimitado optando por continuar vivendo na dor, no limite e no sofrimento.

Todos os anos no mês de Sivan – mais precisamente na Festa de Shavuot – se renova o momento oferecido aos seres humanos no Monte Sinai de superar o limite e renascer para uma nova consciência, onde é possível reconhecer nossa condição de seres imortais que desfrutam a oportunidade de concretizar o plano divino na Terra agora.

O dia de Shavuotque este ano será celebrado em 04 de junho – com início no por do sol do dia 03 de junho – é o momento em que recebemos de volta a chance para dar início ao trabalho de afastar a morte de nossas vidas, afastando o limite pela mudança da nossa programação.

Vamos então aproveitar toda luz disponível neste mês de Sivan – especialmente a disponibilizada para a humanidade a partir do por do sol de 03 de junho – para fazer a conexão com este evento cósmico onde temos a oportunidade de receber, através de orações e meditações, uma “injeção de combustível cósmico” que nos nutrirá por mais um ano.

Estarei orando e meditando nesse dia tão especial.

Medite nos Nomes Sagrados, especialmente o nome que trás a frequência da imortalidade – Nun Iud Taf.

Na tabela ele é o de número 54-(conta-se da direita para a esquerda).

Onde você estiver faça o mesmo; medite e ore com a intenção de absorver toda a luz de Shavuot.

Shalom,

Jane Ribeiro

Read Full Post »

Muito bom este texto da Maria Silvia Orlovas,vale refletir sobre ele!
Vamos salvar o mundo?

Você já parou para observar que de tempos em tempos aparecem propostas diferentes para salvar o mundo?

Como já estou nessa caminhada há bastante tempo vou citar alguns movimentos bem interessantes que me recordo agora, e adoraria saber se você também se recordará desses temas. A
primeira grande onda de salvação que me chamou atenção foram os anjos, você deve lembrar dos anjos cabalísticos, dos rituais para ancorar os anjos, da descoberta do seu anjo de acordo com referencias de um livro. Naquela época não havia quem não falasse de anjos.

Depois apareceu a neurolinguistica que teve um sucesso estrondoso e enriqueceu algumas pessoas que faziam palestras que lotavam auditórios de pessoas desejosas de descobrir a maravilhosa chave do sucesso.

Em seguida, talvez um pouco antes veio a profecia celestina, e o calendário Maia com seus animais estranhos, sinais estelares, e ondas mágicas com surfistas do zuvuia. Vieram também as viagens místicas ao Peru, México, Egito, e como sempre Índia.

Era tudo muito bacana, adorei estudar tudo isso, e me sentir importante descobrindo mistérios, viajando, participando de palestras, mas foi também decepcionante quando começava observar os próximos movimentos dessas receitas de sucesso. As vezes já no segundo livro, ou na segunda palestra, ou mesmo no primeiro Workshop o encanto acabava, porque o vazio começava tomar espaço, as perguntas ficavam sem respostas, e os dogmas ganhavam o lugar da pequena luz do começo.

Mas tenho que confessar que esse pessoal tinha um admirável talento para o marketing, pois as promessas encantavam. Hoje percebo que as pessoas queriam este encantamento queriam acreditar em algo mais e receber iniciações espirituais de diferentes mestres desde Melchizedec, Kuan yin, Theta Healing, Kahuna, valendo também mergulhar em leituras de livros secretos como o do Conhecimento, Enoch ou os pergaminhos do mar morto, Nag Hamad e outros tantos. Queriam acreditar e receber Reiki, EFT, massagens curativas, acupuntura, florais ou até mesmo o sussurro de um mantra e mudar suas vidas num passe de mágica. Porque mudar de verdade sempre deu e dará trabalho. Mudar exige de nós empenho, crescimento, e compromisso. Mas não pense você, amigo leitor, que não acredito, em anjos, passes Reiki, mantras, e todas essas outras coisas, porque acredito em tudo isso, porque essas lindas ferramentas que surgiram para salvar o mundo, e já enriqueceram muita gente, funcionam.

Funcionam sim, mas precisam de um compromisso grande das pessoas que se tratam, e ainda maior daquelas que pretendem canalizar sua energia. Não basta apenas receber, precisamos mudar, fazer diferente, transformar seu jeito de agir e descobrir o que você precisa transformar no seu jeito de ser para ter uma vida melhor.

O mundo que precisamos mudar é o nosso mundo. Podemos gostar, e estudar astrologia, Cabala, budismo, hinduísmo, xamanismo, ou qualquer outro tema, secreto ou não, como a Lei da Atração. Mas sem auto conhecimento e mergulho na auto transformação corremos o risco de nós mesmos contribuirmos para banalizar, e até desrespeitar ensinamentos importantes.

Claro que fazemos parte do todo, que interagimos com o planeta, que precisamos cuidar do verde, pensar de forma ecológica, humanitária, solidaria, amorosa com o outro e com nós mesmos. Mas a mudança acontece de dentro para fora.

Acho que essas lindas ferramentas continuarão sempre aparecendo, ou ganhando novos nomes, e vertentes filosóficas porque há espaço para isso. Nós gostamos de participar de palestras, conhecer gente nova, ouvir o que nos tem a dizer monges, gurus, e pessoas ilustres.

Tudo isso sempre irá nos encantar como o som mágico de tigelas de vidro que dizem vir do Tibet… Tudo isso sempre chamará nossa atenção como o ritmo de um tambor xamanico, mas e o dia seguinte como será?

Como nos sentiremos quando aquele colega chato do trabalho tentar puxar nosso tapete?  Quando seu filho for mal na escola, ou quando você correr risco de perder o emprego?Teremos força, luz, sintonia de fazer uma oração e buscar conexão, ou simplesmente ficaremos com raiva como todo mundo fica, e se sentir perdido, sem proteção e sem saber como agir como sempre nos sentimos?

Qual é o mundo que precisa ser salvo?  Ou qual é o mundo que poderemos salvar se não o nosso próprio?

Espiritualidade é algo bem mais profundo do que a linda magia das velas queimando. Se não estivermos de corpo e alma envolvidos no ritual, se não estivermos de mente e coração envolvidos em transformar nossa vida, em ajudar as pessoas, em fazer nossa vida pessoal e familiar mais tranqüila e feliz essas ferramentas maravilhosas serão guardadas como livros nas prateleiras, ou arquivos no computador. Ferramentas servem para serem usadas, para nos fazer crescer, e nos aproximar cada vez mais de Deus e da fonte de toda luz que é o amor.

Assim vamos mais uma vez ouvir o chamado da alma, ler as cartas do Cristo, cantar nossos mantras, rezar, ouvir nossas canalizações, porque nossa alma precisa de alento, e nossa vontade de impulso. Afinal o nosso mundo precisa ser salvo!

Quem se habilita?
Maria Silvia P Orlovas

Extraído do blog:

http://mariasilviaporlovas.blogspot.com.br/2012/09/vamos-salvar-o-mundo.html

Read Full Post »